S

Samorodok – Sinônimo de reticulado, técnica de reticular o metal através de calor controlado.

Seda – Brilho sedoso encontrado em gemas como rubi e safira, quando lapidadas em cabochão, provocado por reflexão em inclusões paralelas de fibras finas ou canais.

Sistema cristalino – Os cristais são divididos em seis sistemas, cada um com eixos cristalográficos diferentes e ângulos com os quais estes eixos se entrecortam. São eles; sistema cúbico, sistema tetragonal, sistema hexagonal, sistema trigonal, sistema ortorrômbico e sistema triclínico.

Solda – Liga feita com o mesmo metal da peça a ser soldada, adicionando-se outros metais para baixar o ponto de fusão. Utilizada para unir (soldar) as partes da peça entre si.

Soldadura – Junção de dois metais através da fusão de uma liga com menor ponto de fusão.

Sulfato de potássio – Usado dissolvido em água para oxidar deliberadamente uma peça.

T

Tarracha – Fecho de metal utilizado para a fixação de brincos.

Têmpera – Endurecimento do metal conseguido por meios mecânicos ou por calor. Processo que acontece naturalmente no trabalho com metais preciosos, mas também pode ser provocado para melhorar a dureza e resistência mecânica de algumas peças.

Tessuto – O metal é trabalhado como se fosse um tecido, daí o nome tessuto, que em italiano quer dizer tecido.

Textura – Efeito causado por diversos tratamentos aplicados a superfície do metal, utilizando ferramentas, ácidos, escovas, lixas, etc., mudando a forma da superfície e resultando numa sensação visual e tátil.

Titanato de Estrôncio – Pedra sintética fabricada, desde 1953, nos EUA, que quando incolor foi muito utilizado como imitação de diamante.

Titânio – É um metal bastante dúctil, leve e com elevada dureza, mau condutor de calor e de difícil modelagem, resiste a corrosão provocada pela água do mar ou pelo ar marítimo tão bem quanto a platina. A temperaturas elevadas pode se tornar comburente, por esta razão só pode ser fundido a vácuo e não é facilmente soldado. Para utilizá-lo em joias, a fixação é feita através de parafusos, rebites, garras e outros encaixes, feitos com outros metais. É um metal barato, o que o torna caro é a dificuldade que se encontra no seu processamento.
Devido a grande variedade de cores que o titânio possibilita pode ser largamente utilizado na joalheria e outros objetos. Sua coloração pode ser feita forçando-se sua oxidação, de duas formas; por aquecimento ou por hidrólise.

Título do metal – O título indica a pureza do metal que pode ser expressa em quilates (ouro 24 quilates, 18 quilates, etc.) ou milésimos (ouro 1000, ouro 750, etc.).

Trefilação – Técnica utilizada na fabricação de fios e tubos de pequeno diâmetro onde o diâmetro destes é reduzido gradualmente, passando através dos orifícios cada vez mais finos de uma fieira.

Tribulê – Barra de aço cônica, usada para dar forma a anéis e pulseiras

Triplet – Gema composta que junta três partes de materiais diferentes.

U

Ultrason, limpeza por – Método de limpeza sofisticado, no qual a sujeira é removida por energia ultrasônica aplicada através de um líquido. A energia toma a forma de ciclos de pressão positiva e negativa na superfície da peça. Com um líquido atuando como fluido de trabalho. Tem aplicação em peças com formas intrincadas com muitos detalhes.

V

Vidro – Material amorfo artificial que é produzido há milênios em múltiplas cores e graus de transparência, tendo composições químicas variadas.

Vidro aventurina – Produto artificial, geralmente de cor castanha ou lilás escura, com inúmeras inclusões douradas de cobre metálico, que lhe conferem brilho e textura própria.

Vidro Natural – Substância amorfa, vítrea, que ocorre na natureza como resultado de eventos geológicos particulares, como, por exemplo, vulcanismo (obsidiana), impacto de um meteorito (moldavita).

VS (VS1 , VS2) – Termo técnico alusivo à classificação de claridade ou pureza do diamante, que é atribuído a pedras com inclusões difíceis de localizar com a lupa de 10x. As sub-divisões VS1 e VS2 só podem ser aplicadas em diamantes de peso superior a 0,47 ct.

VVS (VVS1 , VVS2) – Termo técnico alusivo à classificação de claridade ou pureza do diamante, que é atribuído a pedras com Inclusões muito pequenas, escondidas e extremamente difíceis de localizar com a lupa de 10x. As sub-divisões VVS1 e VVS2 só podem ser aplicadas em diamantes de peso superior a 0,47 ct.

Atelier Lélia Copruchinski - tel: (41) 9186-8731 / 3232-5638 - Curitiba - Paraná - Brasil
mais informações sobre o livro
tudo sobre

Design de Joias

saiba mais